Obrigada, Irmão Alois!

Na véspera do início do Advento, durante a oração da noite em Taizé, o irmão Alois vai transmitir a sua responsabilidade de prior ao irmão Matthew. Durante 18 anos, o irmão Alois assumiu a orientação da Comunidade de Taizé, tendo-o feito num contexto particularmente difícil após a trágica morte do irmão Roger. Como ele afirmou numa entrevista recente, os primeiros tempos enquanto prior foram uma grande aventura, uma vez que ninguém sabia como iria continuar a ser a Comunidade após a morte do seu fundador. Esses tempos, nas suas palavras, foram de grande unidade entre todos, o que permitiu que a construção comunitária continuasse a ser o que é, um espaço de espiritualidade, de descoberta interior, de oração.

Ao longo destes 18 anos, o irmão Alois soube por em prática as palavras do Evangelho. Todos os anos, nas já habituais cartas que servem de reflexão para os encontros de verão em Taizé, o irmão Alois colocou a tónica sempre na confiança que nos permite avançar, caminhar, seguir ao encontro e à descoberta de um Deus que é amor, é casa, é abraço. Ao longo destes 18 anos, pudemos partilhar alguns encontros com o irmão Alois: em Taizé estivemos em 2006, 2009, 2014, 2017; participamos na Peregrinação de Confiança sobre a Terra em 2005, em Milão, e em 2012, em Roma. Neste último encontro, no final de uma das orações, alguns de nós tiveram o privilégio de ser abençoados pelo irmão Alois, naquele seu gesto sempre doce e sereno. Vejam as fotografias 😊

Obrigada, irmão Alois, não só por estes 18 anos, mas por uma vida inteira de entrega, de partilha, de comunidade. Pelas palavras e pela simplicidade. Pela comunidade. Pela vida. Continuaremos a rezar juntos!

“Nas circunstâncias atuais, também nós podemos escolher a confiança. Somos livres para discernir, no nosso mundo, uma luz com origem noutro lugar. Mesmo quando estamos a passar por uma provação, mesmo quando Deus parece não responder ao nosso clamor, essa luz já está a nascer como a estrela da manhã nos nossos corações.”

“Sozinhos não podemos acreditar, é inimaginável. Mas juntos podemos ouvir o inacreditável, que Maria e depois os apóstolos anunciaram no dia de Páscoa: Cristo está vivo!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *