Arquivo da categoria: Música

Sara

Ela sabe.

A Sara. Um ser de luz que sem saber é parte da nossa vida. Por isso, hoje, estamos tristes, carregados de perguntas difíceis, dominados pela impotência, frágeis perante a dureza de uma partida tão prematura.

A Sara. Um ser de luz que sem saber foi nossa parceira na dinamização dos nossos primeiros grupos de catequese para adolescentes. Quando iniciamos esta atividade na nossa paróquia, muito pouco ou quase nada existia que nos pudesse servir de base de trabalho. As sugestões dos catecismos estavam desfasadas da realidade dos jovens, a Internet não estava acessível como hoje em dia e nós éramos dos poucos animadores a trabalhar com adolescentes. Já nessa altura sabíamos que era fundamental trazer o mundo, a sociedade, os ambientes em que os adolescentes vivem, os seus gostos e vontades para o grupo cristão. Durante os primeiros anos, fomos “salvos” pela música e pelas palavras da Sara. Com as suas canções preparamos temas, fizemos grupos de partilha, falamos do que é isto de ser cristão, abrimos novos horizontes, guiamos os jovens para a beleza. Um dos temas preferidos dos adolescentes era o das escolhas que trabalhávamos a partir de uma das canções da Sara, precisamente chamada “Escolhas”. Os primeiros momentos de oração que os nossos adolescentes viveram foram com a canção “Eu sei”, escrita pela Sara e inspirada no salmo 139. Anos mais tarde, o Jorge também fez uma das suas músicas mais luminosas a partir deste mesmo salmo. O primeiro CD com as músicas originais da Sara, o “Mi Ma Bô”, foi a genuína banda sonora dos dias felizes, simples, cheios de vida, de abraços e de gratidão dos nossos encontros de verão em Caminha.

A Sara. Um ser de luz que sem saber é a personificação da parábola dos talentos, precisamente o Evangelho deste domingo (nada é por acaso…). A Sara. A quem muito foi dado e que muito soube dar, doar, multiplicar. Que fez das fragilidades força, dos obstáculos trampolins, das incertezas hinos de vida.

A Sara. Afinal, ela sabe. Sempre soube. Mais do que qualquer um de nós. Ela sabe que a luz é mais forte que as sombras e a eternidade está na música que damos. Ela sabe que a beleza está onde o amor é irmandade.

Obrigada, Sara!

Música, viagens e estrelas

Viagens pela JMJ, Lisboa 2013

As JMJs são música e canções. Por Lisboa, espalharam-se palcos onde muitos grupos cristãos levaram as suas melodias, testemunhando a fé através da arte. E o hino destas JMJ cantado a tantas vozes, com as palavras e a música perfeitas, motivando cada um a partir ao encontro da VIDA.

Nesta dimensão musical da JMJ, partilho aqui dois momentos especiais, que foram para nós sinais da certeza de que o Amor que vivemos nesta dimensão terrena é eterno.

Na cerimónia de acolhimento ao Papa, quando os símbolos das JMJ eram levados ao palco, o @tiagobettencourt cantou a “Viagem”. Uma canção poderosa, de caminho, de aceitação das partidas, de esperança de reencontros numa voz com sabor a casa. Um hino à eternidade! E nada é um acaso! Dias antes, publicávamos, como de costume no nosso site, o texto da reflexão mensal. Eu já tinha um texto meu preparado, mas algo me lembrou que o Jorge tinha escrito, já em 2008, um texto intitulado “Viagem” sobre o simbolismo da viagem que é a Vida. Uma vez que dali a dias partiríamos para Lisboa, entendi ser uma recordação bonita colocar as palavras dele a acompanharem-nos no caminho. E assim foi! Por isso, quando dias depois ouvimos esta canção “Viagem” naquele ambiente de luz, logo os nossos corações se encheram de comoção pois acreditamos que as nossas energias se ligam e se fundem e a presença de quem amamos faz-se sempre inexplicavelmente presente e continua viva em nós.

Na vigília com o Papa, ninguém ficou indiferente quando a doce @carminho cantou “Estrela”. Quando a vimos naquele palco magistral, numa noite tão cheia e tão serena, o nosso coração voltou a encher-se de alegria, aquela alegria que só brota de quem entende que a vida acontece nestes detalhes aparentemente insignificantes, mas que são tudo. E isto porque esta música “Estrela” tem sido a nossa companhia nestes dois últimos anos no “Encontro em TI”, o nosso momento de oração mensal na Igreja da nossa paróquia, esse que foi um projeto antigo e muito desejado pelo Jorge.

A música. Nós. A vida a dar-nos sinais. E ele, com Ele, a falar-nos através das músicas. E sempre connosco, a olhar-nos. Que felizes somos!

Ana